HCM - Cardiomiopatia Hipertrófica

A cardiomiopatia hipertrófica demonstrou ser herdada geneticamente em Ragdolls (Meurs et al 2007). Foi encontrado um defeito no gene da proteína C de ligação à miosina (MYBPC3) com uma alteração em uma única base nucleotídica - da citosina para a timina - que altera a conformação do códon 820. O defeito parece ser dominante com penetração variável, de modo que indivíduos com uma ou duas cópias do gene tendem a desenvolver HCM (Meurs 2010). Outros fatores, além da presença do gene, têm uma influência importante sobre o desenvolvimento ou não da HCM e a gravidade da doença. No entanto, o que esses fatores são atualmente desconhecidos.

 

Infelizmente, embora o teste genético para o HCM congênito seja muito útil, parece haver vários Ragdolls que desenvolvem o HCM, apesar de terem sido negativos para a presença desse gene. Em humanos, existem mais de 1000 defeitos conhecidos em 10 genes que podem causar HCM, portanto, é provável que existam outras mutações genéticas em Ragdolls e outras raças de gatos e investigações para descobrir que estão em andamento (Meurs et al 2009). Também é possível que ocorram resultados genéticos falsos negativos às vezes (Lyons 2010).

 

O HCM é uma doença que pode ser controlada e para isso é importante fazer os testes genéticos para Ragdolls em laboratórios e ultrassom.

 

Existe uma mutação genética que desenvolve a cardiomiopatia hipertrófica que é o espessamento das paredes musculares do coração em gatos. Com o tempo, essa condição leva à insuficiência cardíaca e a outras complicações, como aumento do risco de bloqueio dos principais vasos sanguíneos por coágulos sanguíneos. A insuficiência cardíaca causa crescente desconforto e mal-estar nos animais afetados, o que pode ocorrer por um período prolongado. O bloqueio dos vasos sanguíneos causa dor intensa. Os animais com a mutação genética que causa essa condição podem ser detectados fazendo-se um teste genético específico e a ultrassonografia do coração.

A doença pode ser rapidamente eliminada do plantel de um gatil, não reproduzindo os animais afetados. Faça os testes genéticos antes de acasalar seus Ragdolls.

 

A cardiomiopatia hipertrófica (HCM) é uma forma comum de doença cardíaca em gatos, inclusive nos Ragdolls. Com a HCM, a parede do coração engrossa anormalmente e esse espessamento causa vários problemas e, em algum momento, impede a função cardíaca normal. A insuficiência cardíaca se desenvolve e causa a morte repentina devido ao fato de o coração não bombear sangue adequadamente pelo corpo ou pelos efeitos de um tromboembolo que é um coágulo que bloqueia um vaso sanguíneo. Após essas complicações progressivas causadas por má circulação e acúmulo de líquido no peito e pulmões, afetando a respiração o resultado é a morte.

No HCM, algumas células do músculo cardíaco não funcionam adequadamente devido a uma falha genética e as células musculares cardíacas normais precisam trabalhar mais para compensar. Com o tempo, aumentam de tamanho (hipertrofia). causando espessura muscular anormal em um coração que não pode funcionar adequadamente.

Gatos com doença cardíaca, mas sem insuficiência cardíaca, provavelmente parecerão normais para seus donos.

Os veterinários especialistas em felinos, podem notar anormalidades ao examinar o gato, detectam um sopro cardíaco ou ritmos anormais. Outros sinais de doença cardíaca e insuficiência são detectados usando equipamentos de diagnóstico, como radiografia de tórax, eletrocardiograma e ultrassonografia.

 

 

Intensidade do impacto no bem-estar:

 

A intensidade dos impactos, no bem-estar, desta doença depende do grau de insuficiência cardíaca e dos efeitos secundários que ela causa. Muitos gatos com HCM não têm insuficiência cardíaca e não têm mal-estar. No entanto, na insuficiência cardíaca grave e terminal, a presença de líquido no interior dos pulmões (edema pulmonar) dificulta a respiração.

 

A doença tromboembólica, na qual um coágulo sanguíneo se forma e bloqueia um vaso sanguíneo, pode ocorrer como consequência do HCM, causando fortes dores e angústia. Os Ragdolls, que são homozigotos para a doença, geralmente são severamente afetados e desenvolvem insuficiência cardíaca e tromboembolismos antes dos dois anos de idade.

 

As investigações de doenças cardíacas e insuficiência cardíaca geralmente precisam ser extensas. Esses procedimentos podem ser desagradáveis ​​para os gatos envolvidos.

 

O tratamento geralmente requer medicação oral regular, geralmente é necessário administrar três vezes ao dia, e isso por si só pode ser significativamente estressante para alguns gatos. À medida que a doença cardíaca progride, os sinais de insuficiência cardíaca geralmente retornam, apesar do tratamento, levando a insuficiência cardíaca grave e a morte, a menos que a eutanásia seja realizada antes disso.

 

Duração do impacto no bem-estar

 

A insuficiência cardíaca com episódios de dificuldades respiratórias, que podem ser aliviadas pelo tratamento, geralmente ocorre progressivamente durante um período de semanas a meses. Os impactos no bem-estar geralmente variam de leve a grave durante esse período, dependendo do sucesso e do impacto das investigações e tratamentos no indivíduo. Alguns gatos vivem por anos sob medicação após um episódio inicial de insuficiência cardíaca e alguns morrem subitamente. Muitos Ragdolls desenvolvem sinais clínicos antes dos dois anos de idade.

 

Diagnóstico

 

O veterinário pode detectar um sinal de doença cardíaca ou insuficiência cardíaca durante um exame de rotina. O diagnóstico da HCM é feito através de um teste genético disponível para uma importante mutação genética responsável pela doença, porém, pode haver outras mutações ainda a serem descobertas que podem causar a doença.

 

Genética

 

Demonstrou-se que a HCM é herdada, ou seja, é geneticamente transmissível.

O defeito genético identificado como associado à doença é dominante. Indivíduos com uma ou duas cópias do gene tendem a desenvolver HCM e aqueles que herdam duas cópias são muito mais afetados.

 

Tradução e adaptação livre de textos do site: https://www.ufaw.org.uk/

© 2017 Clube Ragdoll Brasil. Todos os direitos reservados.

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle