FELV - Leucemia Felina

Para ter Ragdolls sadios em seu gatil, procure gatis idôneos para adquirir seus padreadores e matrizes, e que criam os gatos dentro de casa, sem acesso a rua. Nunca deixe seus Ragdolls em contato com gatos desconhecidos e sempre dentro de casa.

 

 

FeLV - Leucemia Felina

 

O vírus da leucemia felina, FeLV, perde apenas para o trauma como a principal causa de morte em gatos, matando 85% dos felinos infectados em até três anos após o diagnóstico. O vírus geralmente causa anemia ou linfoma, mas como suprime o sistema imunológico, também pode predispor gatos a infecções mortais.

No entanto, a exposição ao vírus da leucemia felina não precisa ser uma sentença de morte. Cerca de 70% dos gatos que contraíram o vírus são capazes de resistir à infecção ou eliminar o vírus por conta própria.

 

Como o vírus da leucemia felina é transmitido:

A leucemia felina é uma doença que afeta apenas gatos, não pode ser transmitida a pessoas, cães ou outros animais. O FeLV é transmitido de um gato para outro através da saliva, sangue bem como, urina e fezes. O vírus não vive muito tempo fora do corpo do gato, provavelmente apenas algumas horas. As brigas entre gatos de rua parecem ser as formas mais comuns de disseminação da infecção. Os gatinhos podem contrair a doença no útero ou através do leite da mãe infectada. A doença geralmente é transmitida por gatos aparentemente saudáveis, mas mesmo que pareça saudável, ele pode estar infectado e capaz de transmitir o vírus.

 

Fatores de risco do seu gato:

A exposição a gatos infectados aumenta o risco de contrair FeLV, especialmente para filhotes e jovens adultos. Gatos mais velhos são menos propensos a contrair a infecção, porque a resistência parece aumentar com a idade. Para gatos que vivem somente em ambientes internos, o risco de contrair FeLV é muito baixo. Gatos que vivem com vários gatos ou em gatis estão em maior risco, especialmente se eles compartilham água e pratos de comida e caixas de areia.

 

Sintomas do vírus da leucemia felina:

Gatos infectados com FeLV podem ter um ou mais dos seguintes sintomas:

Gengivas pálidas, cor amarela na boca, olhos esbranquiçados, linfonodos aumentados, infecções da bexiga, pele ou vias respiratórias superiores, perda de peso, perda de apetite, fraqueza progressiva, letargia, febre, diarreia, dificuldade respiratória.

 

Diagnóstico do vírus da leucemia felina:

O seu veterinário pode diagnosticar a doença realizando um simples exame de sangue chamado ELISA, que identifica proteínas FeLV no sangue. Este teste é altamente sensível e pode identificar precocemente os gatos infectados.

É importante lembrar que alguns gatos conseguirão limpar a infecção dentro de alguns meses e, posteriormente, serão negativos.

Um segundo exame de sangue, o IFA, detecta a fase progressiva da infecção, e é improvável que gatos com resultados positivos para esse teste limpe o vírus. O teste IFA é realizado em um laboratório, e não na clínica do seu veterinário. Em geral, os gatos positivos para IFA têm um prognóstico ruim a longo prazo.

 

Tratamento para o vírus da leucemia felina:

A maioria dos gatos infectados pelo vírus da leucemia felina morrem dentro de três anos após o diagnóstico. No entanto, exames veterinários regulares e bons cuidados de saúde preventivos podem ajudar a manter esses gatos se sentindo bem por algum tempo e a protegê-los contra infecções secundárias. Exames físicos, exames laboratoriais e controle de parasitas duas vezes por ano podem prevenir complicações e identificar problemas rapidamente. Todos os gatos infectados com FeLV devem ser mantidos em ambientes fechados e castrados.

Atualmente, não existe cura para a infecção pelo FeLV. As infecções secundárias podem ser tratadas à medida que aparecem, e os gatos com câncer podem receber quimioterapia. No entanto, o prognóstico é grave para gatos com comprometimento da medula óssea ou linfoma generalizado.

 

Protegendo seu gato do vírus da leucemia felina:

Manter o seu gato dentro de casa e longe dos gatos infectados é uma maneira de impedi-lo de contrair FeLV. As vacinas podem ser administradas a gatos com alto risco de exposição, como aqueles que saem de casa, vivem em abrigos ou nas ruas.

Filhotes poderão ser testados depois de oito semanas de idade para o vírus.

 

Referência veterinária WebMD

Avaliado por Amy Flowers, DVM em 10 de setembro de 2018

Texto traduzido do site

https://pets.webmd.com/

© 2017 Clube Ragdoll Brasil. Todos os direitos reservados.

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle