FIV - Imunodeficiência viral felina

Adquira seu padreador ou matriz de Ragdoll de gatis idôneos que testam seus gatos para, FIV, FeLV e HCM. Você terá lindos filhotes saudáveis que levarão muita alegria para as famílias de seus futuros clientes.

A melhor maneira de impedir que seu gato contraia doenças é mantê-lo dentro de casa, evitando qualquer chance de contato com felinos infectados.

 

FIV - Imunodeficiência viral felina

Imunodeficiência Viral Felina é uma doença infecciosa causada por um vírus pertencente à família Retroviridae, subfamília Orthoretrovirinae, gênero Lentivirus. Foram identificados cinco subtipos de FIV, os quais são denominados A, B, C, D, E. Sendo os subtipos A e B identificados com maior frequência.

A incidência da doença varia geograficamente e depende de fatores de risco como a condição de vida do animal. A FIV tem como principal via de transmissão natural à inoculação do próprio vírus ou células infectadas pelo vírus, presente na saliva de gatos infectados, transmitindo assim por mordeduras.

Os sintomas mais comumente encontrados são: gengivites, doenças do trato respiratório e do trato gastrointestinal. Sinais bastante comuns: letargia, mal-estar, perda de peso, linfadenopatia e pirexia. Sinais neurológicos: anormalidades psicomotoras, agressão, anisocoria (tamanho desigual das pupilas) e convulsão. 

O diagnóstico da doença baseia-se na detecção do vírus em linfócitos T em sangue periférico ou em outras células com a utilização de técnica reação em cadeia da polimerase (PCR).

Não existe tratamento específico para gatos portadores do FIV, entretanto, é indispensável uma conduta terapêutica no intuito de reduzir o aparecimento de infecções secundárias, além de proporcionar uma melhor qualidade de vida para o animal. O método ideal é a prevenção deixando seu gato dentro de casa e o controle da infecção através da vacinação dos gatos de rua.

Gatos infectados pelo vírus da imunodeficiência felina (FIV) podem não apresentar sintomas até anos após a infecção inicial. Embora o vírus tenha ação lenta, o sistema imunológico de um gato fica severamente enfraquecido quando a doença ocorre. Isso torna o gato suscetível a várias infecções secundárias. Gatos infectados que recebem atendimento médico de suporte e são mantidos em um ambiente interno, livre de estresse, podem viver vidas relativamente confortáveis ​​por meses a anos antes que a doença atinja seus estágios crônicos.

Muitas pessoas confundem o FIV com o vírus da leucemia felina (FeLV). Embora essas doenças estejam na mesma família de retrovírus e causem muitas condições secundárias semelhantes, o FeLV e o FIV são doenças diferentes.

 

Quais são os sintomas do FIV?

Um gato infectado pelo FIV pode não apresentar nenhum sintoma por anos e uma vez que os sintomas se desenvolvam, eles podem progredir continuamente ou aparecer intercalados por anos.

Se o seu gato está demonstrando algum dos seguintes sintomas, leve ao veterinário especialista em gatos:

  • Linfonodos aumentados

  • Lebre

  • Anemia

  • Perda de peso

  • Queda de pelos fora do normal

  • Pouco apetite

  • Diarreia

  • Aparência ou inflamação anormal dos olhos (conjuntivite)

  • Inflamação das gengivas (gengivite)

  • Inflamação da boca (estomatite)

  • Doença dental

  • Vermelhidão da pele com perda de pelos

  • Feridas que não cicatrizam

  • Espirros

  • Secreção nos olhos ou nariz

  • Micção frequente, esforço para urinar ou urinar fora da caixa de areia

  • Mudança de comportamento

 

Como o FIV é transmitido?

O FIV é transmitido principalmente de gato para gato através de feridas profundas, do tipo que geralmente ocorre ao ar livre durante brigas agressivas e disputas territoriais - o motivo perfeito para manter seu gato sempre dentro de casa.

 

Outro modo menos comum de transmissão é de uma mãe gata infectada pelo FIV para seu filhote. O FIV não parece estar comumente disseminado através do compartilhamento de tigelas de comida e caixas de areia, cuidados sociais, espirros e outros modos casuais de contato.

 

Quais gatos são mais propensos ao FIV?

Embora qualquer felino seja suscetível, gatos não castrados que vivem nas ruas, lutam contra a doença com mais frequência. Gatos que vivem em ambientes fechados têm menos chances de serem infectados.

 

Uma pessoa pode pegar FIV de um gato?

Não. FIV não pode ser transmitido de gato para humano, apenas de gato para gato.

 

O que devo fazer se achar que meu gato tem FIV?

Se você suspeitar que seu gato tem FIV, leve ao veterinário e peça para ser testado imediatamente. Esteja pronto para descrever os sintomas que notado, não importando o minuto em que apareceu. Além disso, mantenha seu gato dentro de casa.

 

Como é diagnosticado o FIV?

A infecção pelo FIV é diagnosticada rotineiramente por exames de sangue. O tipo mais comum de teste procura a presença de anticorpos contra o vírus no sangue. Nenhum teste é 100% preciso o tempo todo, e seu veterinário interpretará o resultado do teste e determinará se são necessários mais testes para confirmar um resultado positivo ou negativo. Quando um gato é considerado positivo para o FIV, ele é capaz de transmitir a doença a outros gatos.

É possível que uma gata mãe infectada transfira anticorpos FIV para seus filhotes, os quais podem ter resultados positivos até os seis meses de idade. Portanto, os gatinhos que apresentam positivo para anticorpos contra o FIV quando têm menos de seis meses devem passar por testes de anticorpos novamente em uma data posterior para verificar se estão infectados.

 

Como é tratado o FIV?

Infelizmente, não existe tratamento antiviral específico para o FIV. Os gatos podem transmitir o vírus por um longo tempo antes que os sintomas apareçam.

O seu veterinário pode prescrever alguns dos seguintes tratamentos:

  • Medicação para infecções secundárias

  • Dieta saudável e palatável para incentivar a boa nutrição

  • Terapia de reposição de líquidos e eletrólitos

  • Medicamentos anti-inflamatórios

  • Drogas que melhoram a imunidade

  • Controle de parasitas

 

Como cuido do meu gato infectado pelo FIV?

Mantenha seu gato dentro de casa. Isso o protegerá do contato com agentes causadores de doenças aos quais ele pode ser suscetível.

Fique atento a alterações, mesmo que aparentemente mínimas, na saúde e no comportamento do seu gato. Relate imediatamente qualquer problema de saúde ao seu veterinário.

Leve o gato em tratamento ao seu veterinário pelo menos duas vezes por ano para um exame de bem-estar, hemograma e análise de urina.

Alimente seu gato com alimentos de nutrição equilibrada. Não ofereça alimentos crus, por causa da presença de bactérias e parasitas em carnes e ovos não cozidos.

Se o seu gato ainda não estiver castrado, castre-o sem demora.

Como o FIV pode ser evitado?

A melhor maneira de impedir que seu gato contraia o vírus é mantê-lo dentro de casa, evitando qualquer chance de contato com felinos desconhecidos que podem estar infectados. Se você quiser passear com o gato, mantenha-o na coleira quando estiver ao ar livre. E se o seu gato vai passar algum tempo em um gatil ou em uma casa com outros felinos, verifique se todos os gatos tiveram um resultado negativo para o FIV.

Todos os gatos adotados devem ser testados quanto ao FIV antes de entrar em sua casa.

 

O que pode acontecer se o FIV não for tratado?

Sem tratamento adequado, as infecções secundárias que podem ocorrer como consequência do FIV podem progredir para condições com risco de vida. Podem desenvolver várias formas de câncer, doenças do sangue ou insuficiência renal, levando a morte.

Texto baseado nas informações dos seguintes sites: https://pets.webmd.com/

https://www.pubvet.com.br/

Referência veterinária WebMD da ASPCA

© 2017 Clube Ragdoll Brasil. Todos os direitos reservados.

  • Facebook - Black Circle
  • Instagram - Black Circle